X

Saudações viajantes! Ontem a noite o Ben Brode fez uma publicação no site oficial falando sobre os assuntos mais recorrentes na nossa comunidade: Meta, balanceamento e estatísticas. Ele respondeu bastante coisa. Dá só uma conferida!

A publicação original em inglês vocês encontram clicando aqui 

Agora confira a tradução livre do que Ben Brode disse:

Olá todo mundo!

 

Eu tenho lido um monte de feedbacks sobre o estado do jogo, sobre piratas estarem muito fortes e xamã estar muito forte. Também estou vendo muita gente se perguntando sobre o que estamos planejando fazer a respeito de alguns desses problemas atuais.

Gostaria de começar dizendo que realmente apreciamos todos os seus feedbacks.

Acho que Hearthstone está no seu melhor quando a equipe de desenvolvimento e a comunidade discutem e compartilham ideias um com o outro. Esses são problemas reais, e ouvir sobre suas experiências tem sido útil para determinar os próximos passos.

Então hoje eu queria falar um pouco sobre o meta, potenciais nerfs, e como pensamos sobre o equilíbrio.

Para começar, eu queria definir alguns termos. Estes são termos comuns, então pode não haver novidades nisso, mas é útil para se certificar de que estamos falando sobre as mesmas coisas, e como esses termos (que são comuns a todos os jogos) são especificamente utilizados em relação à Hearthstone.

— Sobre o Meta —

O Meta é abreviação de ‘metagame’. O jogo é o que acontece quando você clica em ‘Jogar’ e vê o spinner. O metagame é o que acontece fora do jogo. É o deck que você escolhe jogar. São os decks que seus adversários escolhem jogar. Algumas pessoas definem ‘metagame’ como literalmente tudo relacionado ao jogo, incluindo conversar com amigos sobre ele, ler informações sobre ele on-line ou antecipar conteúdo vindouro. A comunidade de Hearthstone usa o termo mais frequentemente como “todos os decks que todos estão usando” e mais especificamente ainda como “os top X decks”. Se há 7 decks que todo mundo joga tanto que você sempre os vê de novo e de novo enquanto joga, pode-se dizer que esses decks são ‘o meta’. Se você estiver jogando com um deck que as pessoas não veem com frequência, você está jogando ‘fora do meta’. Se você construir um deck especificamente para vencer o deck mais popular, então você está jogando contra o meta. Não importa se um deck é bom ou ruim, o que afeta mais o meta é a frequência com que um deck aparece. É importante notar que decks ruins podem ser parte do “meta”, e decks bons podem não estarem amplamente disseminados o suficiente para se tornar parte do “meta”.

— Sobre equilíbrio —

Equilíbrio pode significar coisas diferentes em contextos diferentes. Às vezes, usamos para descrever o nível de poder relativo entre as coisas. Às vezes, usamos para descrever quantas vezes as coisas estão sendo usadas em relação umas às outras. E há uma relação complexa entre essas duas métricas.

Por exemplo, uma classe pode ter uma taxa de vitória muito alta, em relação a outras. Isso não é equilibrado. Quando isso acontece, mais pessoas tendem a aderir a essa classe, aumentando a taxa de jogo da mesma. Eventualmente, essa classe será jogada mais do que as outras classes. Isso também não é equilibrado, e é o desequilíbrio mais preocupante.

Acreditamos que, na sua essência, Hearthstone é mais divertido quando você está tendo uma variedade de experiências. Nós aleatorizamos a ordem de cartas em seus decks, restringimos você a 2 cópias de cada carta, e limitamos o tamanho da mão e a quantidade de ‘efeito de compra de carta’ que criamos, para ajudar a fazer diferentes experiências em cada jogo. Criamos cartas com efeitos aleatórios em parte por este motivo. Mas uma das melhores maneiras de dar a vocês experiências diferentes (e problemas para resolver) em cada jogo é dar-lhes adversários diferentes com decks diferentes. Também lançamos novas cartas, porque mesmo tudo isso não é suficientes para manter as coisas mutáveis ao longo do tempo.

Há jogos com menos variedade (como Xadrez), que ainda são muito profundos. Mas nós acreditamos que permitir a criatividade no deckbuilding, e dar aos jogadores problemas novos e diferentes para resolver é realmente divertido.

O valor do equilíbrio, então, é continuar dando aos jogadores experiências diferentes.

Isso não quer dizer que o papel de cada carta é competir por uma vaga em um deck competitivo. Algumas cartas (como Senescal Executus), são intencionadas para divertirem muito os jogadores que gostam de momentos bastante surpreendentes. Outras cartas são feitas para serem desafios na montagem de deck para jogadores que gostam de experimentar cartas que os outros consideram fracas (Hobgoblin). Algumas são feitas para serem ganchos para a aprendizagem ou comparação. (“Essa é como o Yeti Ventogelante, mas melhor! Isso deve ser bom!”)

— Estatísticas e o Estado do Meta —

Eu queria comentar algumas estatísticas sobre o meta atual, e falar sobre como analisá-las.

  • Nas últimas duas semanas, 30% dos jogadores estão jogando com Xamã no Lenda. Se você incluir todos os ranques, 17% dos jogadores estão jogando com Xamã. Isso inclui vários decks: Xamã Aggro, Xamã Midrange, Xamã Controle e Xamã Jade.

O pior ponto de desequilíbrio em nossa história foi o Caçador Coveiro, onde Caçador era jogado por 35% dos jogadores em todos os ranques.

  • O ‘pacote’ Pirata (Bucaneiro Café-Pequeno e Remendo, o Pirata) é jogado em cerca de 50% de todos os decks no Ranque 5 e acima.

  • A taxa de vitória média do melhor deck no meta é de 53%. Historicamente, nunca houve um “melhor deck” com uma menor taxa de vitórias. Em outras palavras, este é o pior ‘melhor deck’ na história da Hearthstone. A taxa de vitória é consistente em todos os ranques, embora jogadores individuais tenham experiências individuais absurdamente variáveis. Não incluímos mirror matches em nossos cálculos.

  • A maior taxa de vitórias de todos os tempos foi Caçador Coveiro com algo em torno de 60%.

Quando avaliamos equilíbrio, olhamos a taxa de vitória dos decks e das classes, comparamos elas com o ideal impossível (50%), e com o pior caso (60%). Sabendo que 50% é impossível, nós apenas queremos chegar “perto” disso. Isso não é uma ciência, mas para nós, isso tradicionalmente tem sido algo entre 53% e 56%. No entanto, essa não é a medida mais importante. Se um deck tem uma taxa de vitórias de 70%, mas só uns poucos jogadores estão jogando com ele, isso é ótimo. Isso não causa problemas de uma experiência de jogo repetitiva… ainda.

Tradicionalmente quando um deck tem uma taxa de vitórias alta, as pessoas começam a copiar ele, e ele começa a se tornar uma parte maior e maior do meta. Outra importante consideração para nós nesse ponto são os ‘Counters’.

Quando um deck perde para específicas cartas ou outros decks, os jogadores podem ser recompensados por jogarem com esses counters quando um deck cresce em popularidade. Se um deck se tornar 60% do meta, mas existe um deck que facilmente vence ele, então você poderia ter uma taxa de vitória de 60% se jogar com esse deck, e ele se tornaria o novo melhor deck do meta. Esse fenômeno faz com que o meta mude ao longo do tempo. Nós temos visto isso até agora desde o lançamento de Geringontzan – Guerreiro Pirata atingiu picos de 30%, mas caiu para tão baixo quanto 10% ao longo do tempo. Houveram também alguns dias onde Renolock foi o deck dominante e onde Ladino era o deck dominante em altos níveis de habilidade. Quando o meta ainda está em mudança, não gostamos de fazer alterações em cartas.

Agora mesmo, Xamã Aggro é um dos nossos decks com maior taxa de vitórias, mas possui a taxa de vitórias de 35% contra decks de Guerreiro Controle ajustados para vencê-los. Mago Reno também é uma match-up ruim para eles. Isso quer dizer que agora é ‘correto’ jogar de Guerreiro Controle? Vai depender dos outros decks no meta, e também se Xamã Aggro vai continuar sendo o mais popular. Fibonacci recentemente tirou vantagem do meta previsível e criou um deck de Guerreiro Controle que foi muito bem contra Xamã Aggro.

Acreditamos que é importante deixar bons jogadores reconhecerem mudanças no meta, e tirar proveito desse conhecimento deles antes do meta mudar e a ‘solução’ mudar. Essa é uma das maiores razões de por que não nerfamos cartas frequentemente. Quando o meta não se desenvolve por muito tempo; Quando não existem bons counters; Quando os melhores decks não são divertidos de se jogar ou de se perder para eles; essas todas são razões pelas quais fizemos ajustes de equilíbrio no passado. Se um deck é popular por algumas semanas, essa não é uma razão por si só para fazer um nerf. Nós teríamos que nos preocupar com a diversão, com não ver o surgimento de estratégias contrárias, ou com estar muito longe de um lançamento de conteúdo novo para então pensar sobre estagnação por um longo tempo.

E então isso nos traz ao hoje. Outra consideração para fazer um ajuste de equilíbrio é planejar em torno de um pacote de atualização para cada uma de nossas plataformas. Estamos trabalhando na capacidade de transmitir ajustes de equilíbrio (e outros conteúdos) diretamente para os dispositivos dos jogadores, mas até que sejamos capazes disso, precisamos soltar um pacote de atualização para fazer uma mudança em uma carta. Nosso próximo pacote está planejado para em torno do fim do mês. De qualquer maneira, Vocês podem esperar um anúncio nosso a respeito de alterações no equilíbrio em algumas semanas antes da referida data.


E então guys? o que vocês acharam disso? Particularmente eu fiquei bem surpresa com a estatísticas dos decks, eu achava que xamã e pirate warrior estavam com uma quantidade maior de jogos e winrate. Mas uma coisa é fato, essa expansão trouxe uma variedade de decks, por mais que xamã e guerreiro estejam fortes, há decks que os counteram e isso faz com que não fique tão cansativo a ladder. Vocês devem se lembrar do xamãstone do ano passado né? Aquilo sim estava difícil.

Agora vamos aguardar os “possíveis nerfs” que virão, umas semanas atrás ele já tinha comentado sobre os piratas e que não estava satisfeito com a quantidade deles nos decks, então com certeza uma atenção maior está sendo dada à eles.

E por hoje é só! Beijinhos e até a próxima!

Compartilhe este post!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someoneShare on Tumblr0Pin on Pinterest0